CIDADANIA23

PORTAL NACIONAL

Em O Globo, Manente diz que população está aguardando o impeachment de Dilma

Líder diz que Dilma mentiu ao tentar desqualificar a aceitação do pedido de impeachment

Comissão de impeachment na Câmara terá 65 membros. Bloco do PMDB, partido de Cunha, contará com 27 representantes

Por Leticia Fernandes e Chico de Gois – O Globo

BRASÍLIA – A Comissão Especial que analisará o processo de impeachment aberto pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), será composta de 65 membros e será convocada, em sessão extraordinária, na próxima segunda-feira. Segundo o regimento da Câmara, a comissão deve ter pelo menos um membro de cada partido, e o número de vagas será distribuído conforme a representatividade de cada partido no Congresso.

O bloco do PMDB – além do partido de Cunha, o PP, PTB, DEM, PRB, PSC, Solidariedade, PHS, PMN e PTN, PRP, PSDC, PEN e PRTB – terá direito a indicar 27 deles, 42% das vagas. Só o PMDB indicará oito membros. Já o bloco governista, composto por PT, PSD, PR, PCdoB e PROS, poderá nomear 19 integrantes, 29% dos assentos existentes. O PT, sozinho, indicará oito parlamentares. O bloco da oposição – que reúne PSDB, PPS, PV e PSB – poderá indicar 12 deputados, 18% das vagas.

PMDB e PT indicarão oito parlamentares cada; O PSDB poderá escolher seis parlamentares; PP indicará quatro, assim como o PSB, PSD e PR. O PTB indicará três parlamentares, e DEM, PRB, Solidariedade, PSC, PROS e PDT indicarão dois deputados cada, e, por fim, PHS, PTN, PMN, PEN, PCdoB, PPS, PV, PSOL, PTC, PTdoB, Rede e PMB indicarão um deputado cada.

A composição da comissão que analisará pedido de impeachment

As bancadas terão até as 14h de segunda-feira para indicar os membros da comissão especial. No mesmo dia, às 18h, está agendada uma sessão extraordinária para votação dos membros. Uma vez ratificada pelo plenário da Câmara, a comissão escolherá, por voto secreto, o presidente e o relator do processo.

O deputado Alex Manente (SP), indicado pelo PPS, é o primeiro indicado para Comissão Especial. O jovem parlamentar é de São Bernardo do Campo, berço político do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mas já anunciou que deverá votar pelo prosseguimento do impedimento da presidente Dilma Rousseff (PT).

— Temos uma grande responsabilidade, vivemos um momento histórico. Tenho convicção de que a comissão especial dará seguimento a esse processo, é uma peça muito bem fundamentada. Acho que o país está aguardando isso, a população está sufocada — disse o deputado.

Alex Manente tem 36 anos e é filiado ao PPS desde os 18, quando começou sua vida política. Foi vereador e deputado estadual e está em seu primeiro mandato como deputado federal.

O deputado tucano Bruno Araújo, líder da minoria, disse que todos os líderes da oposição participarão da comissão que deliberará sobre o impeachment. No PSDB, que tem seis assentos, por enquanto já foram definidos dois nomes: o de Araújo e o do líder do partido na Câmara, Carlos Sampaio (SP). No DEM, o líder Mendonça Filho também participará da comissão. O líder do PPS, Rubens Bueno, será suplente de Alex Manente, deputado escolhido por ser inimigo do PT em São Bernardo do Campo, berço político do PT.

Nenhum conteúdo relacionado

Deixe uma resposta