CIDADANIA23

PORTAL NACIONAL

Carmen alerta para a crescente mortalidade de jovens no país

Ananda Borges/Agência Câmara

Zanotto: Brasil corre risco de perder uma geração para a violência

A deputada  Carmen Zanotto (PPS-SC), em pronunciamento nesta quarta-feira (30) em  homenagem ao Dia Mundial da Juventude, pediu a atenção do Parlamento  para o  crescente índice da mortalidade do segmento no país. A parlamentar  disse que gostaria de fazer um discurso falando dos sonhos, dos símbolos, da esperança, da alegria e da  leveza da juventude, mas, infelizmente,  há pouco a comemorar diante da violência que tem  o segmento como a maior vítima.

“Uso desta tribuna para um clamor, um alerta. A morte de jovens no Brasil  deve ser motivo de nossas maiores preocupações. Quase metade das mortes de adolescentes de 16 e 17 anos no Brasil, em 2013, teve como causa o homicídio. O país corre risco de perder para a violência uma geração. O Brasil precisa desses homens e mulheres”, disse Carmen.

De acordo com o Mapa da Violência 2015, foram 3.749 jovens nessa faixa etária vítimas de homicídios, 46% do total de 8.153 óbitos. A média é de 10,3 adolescentes assassinados por dia no país. As outras causas foram acidentes de transporte (13,9%) e suicídios (3,5%). A projeção é que 3.816 serão mortos em 2015, diz o autor, e a metade dessas mortes seja por homicídio.

“Faço este advertência,  embora seja parlamentar de um estado, Santa Catarina, que ostenta a menor taxa nas mortes por jovens na faixa etária de 15–29 anos, com 21,4 homicídios por 100 mil jovens”, comparou a deputada federal.

Carmen Zanotto declarou que embora sejam menores que os de outras unidades da federação, os dados de criminalidade de Santa Catarina também preocupam. Para ela, é necessário almejar um patamar ainda melhor. “Até porque em relação aos homicídios, atualmente a grande preocupação da área de segurança no estado. “Os números de assassinatos no ano passado foram recordes e a crise motivou a instalação de uma força-tarefa entre as polícias”, informou.

Carmen Zanotto finalizou o discurso dizendo  é direito dos jovens desejar muito, sonhar muito e querer muito. “Os sonhos nunca perecem, eles sempre se renovam. Por isso, temos que garantir a vida, as políticas públicas e a esperança aos nossos jovens”, defendeu a parlamentar.

Nenhum conteúdo relacionado

Deixe uma resposta