CIDADANIA23

PORTAL NACIONAL

Freire recebe representantes do audiovisual no MinC

Representantes do audiovisual trazem contribuições para o MinC

O ministro da Cultura, Roberto Freire, participou nessa quinta-feira (12) de um encontro para ouvir sugestões de entidades representativas do audiovisual brasileiro. Foram tratados temas como a participação da pasta no fomento ao setor e a posse do Conselho Superior de Cinema, prevista para o próximo dia 31.

Freire informou aos participantes que solicitou ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a apuração de dados sobre a economia brasileira no campo da cultura. O ministro recebeu da comitiva um estudo recém-lançado pela Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais (Apro), Sebrae e Fundação Dom Cabral chamado Mapeamento e Impacto Econômico do Setor Audiovisual no Brasil.

A continuidade de outras ações e políticas do MinC voltadas ao setor e a força dos estados na produção audiovisual brasileira também foram abordadas durante a conversa. Segundo o ministro, o MinC está avaliando a participação na Virada Cultural paulista de 2017. “Não haverá rupturas em relação às políticas direcionadas ao segmento, e sim renovação”, destacou Freire.

Sobre a posse do Conselho Superior de Cinema, o secretário-executivo do MinC, o cineasta João Batista de Andrade, destacou a urgência em “fazer o cinema brasileiro voltar ao núcleo da política no Brasil”. Quatro integrantes que tomarão posse no conselho estavam entre os 11 dirigentes que participaram da reunião. Para o ministro, a posse da nova gestão será uma oportunidade, inclusive, para se repensar os papéis a serem desempenhados por cada órgão relacionado ao setor do audiovisual, como o próprio conselho, a Agência Nacional do Cinema (Ancine) e a Secretaria do Audiovisual (SAv).

A aproximação do MinC com as TVs públicas foi citada como importante para o desenvolvimento de produções independentes. O secretário de Articulação e Desenvolvimento Institucional do MinC, Adão Cândido, informou aos presentes que já foi feita uma reunião com o presidente da Empresa Brasil de Comunicação (EBC), Laerte Rimoli, para tratar de parcerias

Antes de encerrar reunião, Freire ressaltou a necessidade de fortalecer outras cadeias produtivas que integram a economia da cultura e que precisam ter uma presença forte e efetiva, como ocorre com o audiovisual. “Cuidar das línguas dos povos originários, por exemplo, é algo que temos trabalhado dentro do MinC, por meio do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). A prioridade do ministério não pode ser só estimular um setor forte com incentivos”, destacou.

Participaram da reunião o presidente do Sindicato da Indústria Audiovisual do Estado de São Paulo (Siaesp), João Daniel Tikhomiroff; a presidente do Sindicato da Indústria Audiovisual (Sicav), Sílvia Rabelo; o primeiro vice-presidente do Sicav, Leonardo Edde; o presidente da Associação Brasileira da Produção de Obras Audiovisuais (Apro), Paulo Schmidt; o presidente da Associação Brasileira de Produtoras Independentes de Televisão (Bravi), Marco Altberg; o presidente-executivo da Bravi, Mauro Garcia; o vice-presidente da área municipal da Associação Paulista de Cineastas (Apaci), André Klotzel; a presidente da Associação Brasileira de Cineastas (Abraci), Carolina Paiva; e o diretor da Associação de Produtores e Realizadores de Longas-Metragens do Distrito Federal (Aprocine), Marcus Ligocki, e a secretária do Audiovisual do MinC, Mariana Ribas. (Ascom do MinC)

Nenhum conteúdo relacionado

Deixe uma resposta