CIDADANIA23

PORTAL NACIONAL

Executiva Nacional do PPS decide que filiados irão escolher e sugerir o novo nome do partido

Tuca Pinheiro

Mudança pode significar a atração da sociedade para o momento eleitoral, diz Freire

A Comissão Executiva Nacional do PPS aprovou nesta terça-feira (22), em Brasília, resolução (veja abaixo) que abre o processo de discussão sobre a mudança do nome do partido definido durante o 19º Congresso Nacional, em março. A nova denominação da sigla faz parte da estratégia de renovação política do PPS com o ingresso de integrantes dos movimentos da sociedade, como o Agora!, Livres e Acredito. De acordo com o documento, a mudança só vai ocorrer depois das eleições.

A resolução define que o processo de consulta para a troca de nome vai ocorrer no site do partido, em junho, pelo conjunto de filiados, da militância partidária e da sociedade. Os nomes que estarão em consulta são “Convergência” e “Em Movimento”, aprovados por ampla maioria da Executiva Nacional. Também serão analisados outros nomes sugeridos pelos participantes da consulta pública.

novo nome 1O presidente do PPS, Roberto Freire, disse que após o processo de consulta aos filiados, a nova designação do partido será analisada na Convenção Nacional Eleitoral e, se aprovada, agregado a atual denominação no processo eleitoral. A definição, conforme a resolução, é subsidiária ao processo que antecederá a mudança de nome, que deve ser concluída em reunião extraordinária do Diretório Nacional. “Isso pode levar a um bom debate porque representa uma ótima oportunidade para mostrarmos à sociedade que o PPS deseja o novo na política”, disse.

Para Freire, a mudança pode significar a atração da sociedade para o momento eleitoral do País. “O processo de mudança de nome neste período é favorável. Podemos utilizar como elemento de campanha em um momento em que a sociedade busca o novo. Podemos transformar esse processo em um movimento. Somos novos porque estamos agregando e temos condições de fazer um bom movimento”, afirmou.

O secretário-geral do PPS, deputado Davi Zaia (SP), explica que decisão de mudar de nome foi um compromisso assumido no 19º Congresso Nacional com as lideranças partidárias, filiados, militantes e membros dos movimentos sociais que ingressaram no partido. “Após o processo inicial de estudos, a Executiva Nacional decidiu abrir a discussão com a sociedade e os membros do partido em todo País para a escolha do novo nome”, disse.

Conjuntura política

Ao final da reunião, Roberto Freire falou sobre as dificuldades de se fazer uma análise da atual conjuntura política do País. Ele disse que as pesquisas eleitorais não representam “o futuro”, e destacou a importância da continuidade da luta pela unidade das forças democráticas em torno da candidatura do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

“A análise da conjuntura neste momento é complicada. Temos que ter tranquilidade porque os cenários atuais não indicam [para] o futuro. Lula não será candidato porque é ficha suja, a não ser que rasguemos a Constituição. O que ele pode discutir é se vai ficar preso durante as eleições ou se vai conseguir sair depois. Precisamos continuar trabalhando a unidade das forças democráticas e a candidatura de [Geraldo] Alckmim tem potencial para isso. O Brasil de hoje é melhor que o de ontem e, se continuar assim, ficará ainda melhor amanhã. A sociedade está preocupada com a sucessão e quer correções de rumos”, disse.

Resolução Política Nº 008/2018

Atendendo deliberação do 19º Congresso do PPS que definiu abertura do processo de discussão para mudança de nome do Partido, a Comissão Executiva Nacional, reunida em Brasília, decidiu:

1 – A mudança de nome do Partido não se realizará antes das eleições de outubro;

2 – Foi definido um processo de consulta, que ocorrerá no site do Partido, durante todo o mês de junho, envolvendo o conjunto da militância, dos movimentos (Agora, Livres e Acredito), e aberta à sociedade, onde serão analisados os nomes já sugeridos pela Comissão Executiva Nacional, bem como outro nome que possa vir a ser apontado pelos participantes da consulta;

3 – Após análise dos nomes apresentados, a Comissão Executiva, por sua ampla maioria, escolheu “Convergência” e “Em Movimento” como os preferidos;

4 – A Convenção Nacional Eleitoral será o momento em que o nome escolhido será referendado e agregado a atual sigla, para o processo eleitoral, como momento que antecederá a mudança formal de nome, que se dará em uma reunião extraordinária do Diretório Nacional, convocada para tal finalidade, após as eleições, nos termos do Estatuto.

Brasília (DF), 22 de maio de 2018.”

Nenhum conteúdo relacionado

Deixe uma resposta