CIDADANIA23

PORTAL NACIONAL

PPS Diversidade intervém e garante exibição da peça “O Evangelho Segundo Jesus” no Rio

Reprodução/Sesc

O espetáculo integra a Mostra Corpos Visíveis e é interpretado pela atriz Renata Carvalho

logo diversidadeEmbora o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (PRB), tenha cancelado a exibição do espetáculo teatral “O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu” na Arena Fernando Torres, no Parque Madureira, uma articulação coletiva de lideranças LGBTI, que contou com participação do coordenador do PPS Diversidade, Eliseu Neto, garantiu a realização da peça na Fundição Progresso no próximo sábado (09) à noite (veja abaixo a programação).

O espetáculo, que integra a Mostra Corpos Visíveis e cuja programação foi mantida pelos organizadores, é interpretado pela atriz travesti Renata Carvalho. A peça teatral já foi cancelada em outras cidades por ações de movimentos conservadores.

“Repudiamos os demandos do prefeito Marcelo Crivella e a transfobia institucional da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro em proibir e minar um evento legitimamente LGBTI por puro fundamentalismo”, diz nota (veja abaixo) da coordenação da Aliança Nacional LGBTI.

Para a organização da Mostra Corpos Visíveis, o cancelamento por parte da Prefeitura do Rio “trata-se nitidamente de censura à visibilização e livre expressão artística dos corpos LGBTQI+, femininos, negros e periféricos. A peça já sofreu tentativas de censura em outros estados e aqui mesmo no município com perseguições sofridas por trazer uma atriz travesti no papel de Jesus e um roteiro que questiona ‘E se Jesus vivesse nos tempos de hoje e fosse travesti?’. A produção da Corpos Visíveis garante que a peça não busca ofender cristãos, mas cria um questionamento sobre a falta de tolerância e respeito nos tempos atuais pregando o respeito e o amor incondicional”.

Nota da Aliança Nacional LGBTI Coordenação Rio de Janeiro

Desde o ano de 2017, o coletivo responsável pelo evento Corpos Visiveis vem dialogando com a Prefeitura do Rio de Janeiro, tendo lhe sido prometido que tudo estaria resolvido e confirmada a utilização do Parque Madureira e da Arena para realização do evento.

Para nossa surpresa, após sair na coluna do Ancelmo Gois que na programação do evento haveria uma peça intitulada “Jesus Cristo a Rainha do Céu”, imediatamente o prefeito, Marcelo Crivella, fez uma declaração que no seu governo não haveria peça que desrespeitasse a religião cristã e, em um ato de total censura, cancelou todo o evento.

Após o coletivo, com apoio dos movimentos sociais, ocupar uma reunião da Secretaria de Cultura, foi prometido que a Prefeitura iria enviar um representante para reunião da Comissão de Cultura da Câmara no dia 06/06/2018.

Nós, da Aliança Nacional LGBTI – Coordenação do RJ, estivemos presente e pudemos constatar que ninguém da Prefeitura apareceu. Iniciaram-se tentativas de conciliação por parte dos Vereadores David Michael Miranda e Tarcísio Mota que, pressionando a prefeitura, tiveram a informação de uma reunião com o prefeito.

Causou-nos espanto uma postagem da Coordenação da Diversidade Sexual afirmando já ter sanado o problema, empurrando a peça para um espaço totalmente desconhecido e, por questões estruturais, incapaz de abrigar o evento. Nada estava certo e resolvido.

A partir de uma articulação coletiva e propositiva do ex-coordenador do Ministério da Cultura Eliseu Neto, da Juliet Matos do Grupo Convergência, e do Jobson Camargo do Coletivo Xica Manicongo, houve entendimento com a Fundição progresso, com a disponibilização do espaço para receber as atividades.

Isto posto, nós, da Coordenação Estadual RJ da Aliança Nacional LGBTI, repudiamos os desmandos do prefeito, Marcelo Crivella, e a transfobia institucional da Prefeitura Municipal do Rio de Janeiro em proibir e minar um evento legitimamente LGBTI por puro fundamentalismo.

Repudiamos ainda o senhor Nélio Giorgini, que finge ter feito o que não fez e ignora que foi o movimento LGBTI que mais uma vez, ante sua falta de ação, enfrentou o prefeito fundamentalista, garantindo a pauta e defendendo a arte.

Por um movimento coletivo, com mais “NÓS” e menos “eu”.”

PROGRAMAÇÃO DA MOSTRA CORPOS VISÍVEIS

Fundição Progresso

Sábado – 09/06/2018

19h às 21h – Performances

Drag Queen Ma.Ma Horn

Nascida de um ventre nordestino na maior favela da América Latina, Ma.Ma. Horn é Drag, é Queen, é Queer. Bicha não binária, encontra sua cena na cidade e sua performance em sua diversidade.

“A Cada 19h”

Performance que conta histórias de mortes causadas pela LGBTfobia tendo como conflito o intervalo entre elas.

Espetáculo teatral

“O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu”

E se Jesus vivesse nos tempos de hoje e fosse travesti? O espetáculo é uma mistura de monólogo e contação de histórias em um ritual que traz Jesus ao tempo presente, na pele de uma travesti. Histórias bíblicas conhecidas são recontadas em uma perspectiva contemporânea, propondo uma reflexão sobre a opressão e intolerância sofridas por transgêneros e minorias em geral.

Nenhum conteúdo relacionado

Deixe uma resposta