CIDADANIA23

PORTAL NACIONAL

Viagem de Bolsonaro aos EUA deixou muito a desejar, diz Arnaldo Jardim

Reprodução

Para deputado, as "relações entre dois países não são feitas com base em simpatias"

“Relações entre dois países não são feitas com base em simpatias; são relações comerciais que devem buscar preservar os nossos interesses”, disse o deputado federal Arnaldo Jardim (PPS-SP), ao analisar os resultados da visita que o presidente Jair Bolsonaro fez aos Estados Unidos. No entender de Jardim, que é membro da Frente Parlamentar Agropecuária, a viagem de Bolsonaro deixa muito a desejar.

Segundo o parlamentar, o agronegócio levou uma pauta de reivindicações onde despontava como principal questão a reabertura do mercado americano à carne do Brasil, já que os brasileiros têm controle da saudabilidade da proteína animal aqui produzida, de qualidade garantida, conforme enfatizou.

“Não temos uma resposta efetiva ainda. Entendo que esse gesto [a visita de Bolsonaro] foi de abertura de um diálogo, mas esperamos uma resposta mais objetiva”, analisa Jardim.

A ministra da Agricultura, Tereza Cristina, apresentou uma pauta com vários itens para negociar com o seu correspondente americano, o secretário de Política Agrícola.

“Não foi abordado o tema do açúcar, sobre o qual temos uma pendência e uma solicitação de abertura do mercado americano, que hoje impõe uma série de restrições à importação de açúcar do Brasil”, disse Jardim.

Sobre esse encontro, o parlamentar disse que foi “muito inicial, uma reunião sem resultados e espero que tenha continuidade para que possa significar realmente uma intensificação das relações Brasil-Estados Unidos”.

Base de Alcântara

Ao comentar a permissão de uso da Base de Alcântara, Arnado Jardim afirmou que ela pode ser dada, desde que preservada a soberania do Brasil e que haja contrapartidas de acesso do Brasil à tecnologia americana no setor.

“Defendo uma interação e não simplesmente uma permissão de uso”, disse.

Visto

Sobre a liberação dos americanos e cidadãos de outros países da obrigatoriedade de apresentar visto ao entrar no Brasil, o deputado do PPS defendeu que os Estados Unidos avancem no sentido de ter critérios para flexibilizar o acesso de brasileiros aos seus países.

“Acho que nós deveríamos ter cedido à contrapartida quando tivéssemos alguma garantia disso”, disse.

Nenhum conteúdo relacionado

Deixe uma resposta